Quais são os 10 melhores jogadores argentinos da história? Apesar de desejarmos a derrota dos hermanos a cada jogo que assistimos, é inegável que o país possua um dos maiores celeiros de craques de todo o mundo – menor que o do Brasil, é claro. Neste conteúdo, mostramos a você quais são os 10 melhores jogadores argentinos da história. Leia:

10 melhores jogadores argentinos da história

10. Osvaldo Ardiles

No Tottenham lembram-se bem dele nos anos 80, mas o seu personagem é daqueles a quem o campo de futebol sempre foi fora da curva: uma figura que ultrapassou as fronteiras do campo.

Protagonista entre outros também em “Fuga para a Vitória” – o filme em que Pelé também participou – no qual, mesmo no set, mostrou sua extraordinária habilidade técnica. Ele teria sido o melhor jogador de muitas seleções, é uma pena ter nascido na Argentina atrás de tantos gigantes do futebol melhores do que ele, é claro.

9. Hernán Crespo

Nós o conhecíamos bem aqui no Brasil, como rival e mais recentemente como técnico do São Paulo Futebol Clube, mas ele também era um ídolo na Argentina: forte fisicamente, um dos maiores cabeceadores e dotado de um grande senso de gol que moveu muitas apostas em futebol. Finalizava como muito poucos, técnico, um jogador de grande classe: neste top-10 não poderia faltar um atacante como Crespo.

8. Mario Kempes

A primeira Copa do Mundo vencida pela Argentina é obra dele, mais forte que a Holanda e o resto das seleções. Um jeito meio anarquista de agir, claro, mas poderoso e rápido como dificilmente poderia ser em um período em que os militares e a ditadura dominavam o território argentino.

7. Adolfo Pedernera

Quais são os melhores jogadores argentinos da história? Adolfo Pedernera está na lista. O seu mito tem as suas raízes num futebol antigo agora a décadas de distância, mas que marcou decisivamente o que este esporte se tornou.

Considerado um dos melhores jogadores de todos os tempos – revistas especializadas o colocam em 58º lugar no top 100 de todos os tempos – Pedernera com seu River inventou o papel do meia-atacante:  uma das muitas inovações trazidas ao mundo do futebol por um talento atemporal.

6. Daniel Alberto Passarella

Um zagueiro diferente dos demais – pura interpretação de um papel que lhe deu grande satisfação também no nível de realização, que o tornou campeão tanto na Argentina quanto na Europa, líder da primeira seleção argentina que conquistou a Copa do Mundo em 1978 apesar da ditadura. Um símbolo do futebol, um eterno campeão, como todos os membros desta lista.

5. Gabriel Omar Batistuta

Um dos maiores atacantes da história do futebol. Um jogador magnífico que encantou o mundo inteiro: os mais de 350 gols marcados – poderiam ter sido muitos mais, mas as precárias condições físicas limitaram parcialmente sua carreira – são um hino ao futebol, determinação e poder. Um campeão com vibrações diferentes de todos os outros, um fenômeno como os quatro que o precedem na classificação.

4. Enrique Omar Sivor

Lembram-se dele como um talento extraordinário, daqueles que assustavam até quem estava acostumado a lidar com campeões de alto nível. Omar Sivori fez pelo menos duas gerações de argentinos se apaixonarem pelo futebol, independentemente da fé futebolística: uma joia, que também ficou gravada na memória daqueles que não tiveram a sorte de vê-la.

3. Alfredo Di Stefano

Ele é um dos jogadores que disputam o papel de melhor jogador de futebol de todos os tempos – sem fronteiras geográficas, de todos os tempos – mas na Argentina ele se encontra apenas no terceiro degrau do pódio: o sul-americano mais madridista da história do futebol, um jogador total no sentido mais amplo do termo, ganhou tudo, várias vezes, como protagonista. Simplesmente: Alfredo Di Stefano.

2. Lionel Messi

Por que em segundo lugar na lista de melhores jogadores argentinos da história? Porque é como se fosse o primeiro também, ainda que o registro de gols, vitórias e triunfos não lhe dessem o significado e peso específico de quem o precede na classificação, além de ter gerado muitas apostas em futebol pelas casas de apostas.

Messi é futebol, todos os dias, todos os jogos, em todas as situações. Ele dominou o esporte mais popular do mundo por 15 anos, e, em partes, ainda continua fazendo. Talento eterno, difícil de encontrar falhas.

1. Diego Armando Maradona

Então, por que Maradona em primeiro lugar? Porque Diego é algo além do futebol, no sentido de que sua presença era de alguma forma sentimental. Se os outros fossem futebol, Maradona é a essência do futebol, algo mais.

Se tivesse se envolvido na política, teria se tornado o novo líder da Argentina, tinha a aura de um líder, carisma para vender, maravilha para dar ao mundo. A primeira posição em qualquer tipo de ranking desse tipo só pode ser dele, afinal, é o único que chega perto de Pelé – mas nunca será melhor. Até a próxima!